Liberdade é pouco

O que é liberdade para você? Se a resposta for: autonomia para decidir o que é bom para sua vida, está correto. Mas é só isso mesmo?! Se for, então, liberdade é pouco. É preciso liberdade plena, ou seja, direito, autonomia e respeito para cada um ser o que bem entender.

Pode parecer um desejo utópico querer que todos respeitem suas decisões e estilo de vida. Será utópico se você deixar isso ser um obstáculo. Quando você respeita as opiniões alheias, você não precisa exigir respeito; ele vem espontaneamente.

Liberdade é, acima de tudo, respeitar os limites dos outros. O estilo de vida dos seus amigos ou parente, por exemplo, pode ser bem diferente e você não concordar, mas cabe a você dizer o que é bom para eles? Eles também são livres para aprender com as próprias escolhas. E você, só tem liberdade plena quando entende que cada um é um universo e o que é bom para você, talvez seja ruim para alguém.

“liberdade” sempre foi relacionada à ideia do Livre-arbítrio, ou seja, poder de decidir seu próprio destino. Com o tempo, essa ligação sofreu muitas mudanças na interpretação. Está mais associada à um indivíduo livre de laços e responsabilidades. Essa má interpretação do termo, implica várias adversidades que podem prejudicar, tanto o social como o profissional da pessoa.

Você só descobre que não é bem assim “livre de laços e responsabilidades”, quando começa a sofrer as intempéries da busca por liberdade. Ser livre é mais do que escolher como viver sua própria vida. Ela pode ser igualada à felicidade, mesmo que esteja apenas nos planos. Só o desejo já é uma libertação de tudo que pode empacar sua evolução, como a definição equivocada do termo.

Podemos citar quatro tipos/nível de liberdade:Liberdade é

  1. Liberdade de viver os diretos que a sociedade nos atribui.
  2. Liberdade para participar dos processos de decisão da comunidade; ou seja: de eleger, de ser eleito, etc.
  3. Liberdade de consciência e crença; que é o direito de praticar a religião que julgar se encaixar.
  4. Liberdade individual  para cada um viver como bem entender; que é o que todos querem.

 

Dentro de cada um destes tipos, há inúmeras ramificações. No geral, todos querem 

 

Liberdade para escolher a profissão

Liberdade para não ter uma profissão

Liberdade para morar onde quiser

Liberdade para valorizar mais o hoje

Liberdade para fazer seus próprios horários

Liberdade para não precisar dar satisfações

Liberdade para crer no que quiser

Liberdade para não se encaixar em nenhum padrão

Liberdade para criar seus próprios limites

E inúmeros outros que variam de indivíduo para indivíduo.

Se faça uma pergunta simples: “Por que eu preciso de liberdade plena?” Nesse exercício, você verá que ela é frequentemente pensada no individual, quase nunca no coletivo. Antes de entendermos o que ela implica de fato, todas as respostas serão contraditórias, afinal, ela só é plena quando estamos felizes; e dá para ser feliz numa ilha deserta?!

A palavra liberdade é mais complexa que imaginamos. Tem poucas definições erradas e incontáveis corretas, dependendo apenas do ponto de vista de cada um. A dica para compreender o que é liberdade plena para você é uma só: autoconhecimento! Só pode ser livre, aquele que conhece a si mesmo e o mundo em que vive.

Quanto mais consciente dos seus conflitos internos, mais maduro você será para lidar com a opressão e pressão da sociedade. O objetivo não é não ter restrições e/ou limites, e sim, saber lidar com eles sem anular suas convicções. Todo mundo precisa do outro para ser o que é. Temos à nossa volta um mundo só para nos proporcionar experiências negativas e positivas e, assim, compreendermos nossas capacidades e até onde podemos chegar.

Você se considera livre? Aproveite o espaço para comentários e compartilhe com a gente a sua resposta para: “Para mim, liberdade é”. Lembre-se que, o autoconhecimento começa com trocas de pontos de vista para primeiro aprender a respeitar as diferenças 😉