Mais autonomia no casamento 2

Mais autonomia no casamento

Para muitas pessoas, parece difícil falar em mais autonomia no casamento, pois ainda existe a ideia de que um casamento feliz é aquele em que um cede aos desejos e vontades do outro. No entanto, cada vez mais, isso se mostra como um pensamento que pertence ao passado, já que é possível um relacionamento pleno mesmo quando existe a individualidade de cada um.

A mudança de comportamento que a própria mulher vem tendo na sociedade nos últimos anos interfere diretamente nessa mudança. As gerações mais novas e mesmo os casais que estão juntos há mais tempo estão se dando conta de como o relacionamento amoroso pode ser melhor quando se baseia na confiança e não no ciúmes e tampouco no sentimento possessivo. No entanto, até que todo mundo entre em sintonia com essa nova realidade, existe um longo percurso. Machismo, preconceito e o apego às antigas tradições dificultam que as pessoas tenham mais autonomia no casamento.

Como a sociedade é feita por pessoas, depende de cada indivíduo tomar as decisões para mudar a visão de que casamento se resume a dependência e submissão. Por outro lado, não é apenas a mulher que se submete ao homem nas relações, já que, mesmo entre casais homossexuais, a falta de autonomia está presente também.

Como ter mais autonomia no casamento

Um comportamento dependente e não autônomo tem origem, ainda, em como se davam as relações familiares. Na antiga formação familiar era o pai quem levava para casa o dinheiro, ou seja, o sustento da família. Esse era, e ainda é, em muitos núcleos familiares, o motivo para que os filhos e a esposa fizessem a vontade do homem, como agradecimento pelo sustento.

Ao sair de casa, principalmente as mulheres levavam consigo a ideia de que precisavam de alguém para sustentá-las como até então. Essa era a lógica do próprio casamento, já o pai dava a mão da sua filha em casamento apenas para um homem que tivesse como sustentá-la. Por outro lado, a mulher também tinha que ter o dote (dinheiro do seu pai) para que alguém pudesse casar-se com ela. Ou seja, o seu futuro dependia do dinheiro dos outros e não das suas próprias escolhas.

Mais autonomia no casamento

Embora os tempos sejam outros, é possível ver alguns resquícios dessas relações de dinheiro nos casamentos atuais, por mais que a tendência seja a sua dissolução total, em muitos casos. Para ter mais autonomia no casamento, portanto, basta se desprender desses conceitos que regeram a sociedade por muito tempo. Deve-se encarar o casamento não como dependência, mas como compartilhamento entre duas pessoas que estão juntas apenas por se amarem, sem interesses extras.

E mais: para ter mais autonomia no casamento, é importante que o casal também dissolva do amor os conceitos de posse. Cada um deve ter a sua vida, as suas atividades, fazer o que gosta, buscar os seus sonhos e criar momentos em comum para que compartilhem momentos de união felizes. E como se faz isso? Sem ficar de cara amarrada quando o marido vai jogar bola com os amigos ou quando a esposa vai encontrar as amigas, quando ele quer ver o futebol na TV e ela prefere ver a novelas, entre muitas outras situações.

Nem todos os casais passam por esses momentos como os que acabamos de citar, mas são pequenos exemplos de como lidar com a dependência, respeitando o outro indivíduo e não exigindo que ele siga uma rotina devido ao casamento.  A mudança de comportamento deve partir da pessoa que deseja mudanças, para que as outras pessoas sejam estimuladas a mudar também.

É claro que concessões fazem parte do casamento, por isso, é preciso que ambos compartilhem pontos em comum, para que entrem em sintonia e, assim, possam ter mais autonomia no casamento. Respeito e confiança são mais do que necessários nessa hora.

E sua vida de casado, como anda? Sente que tem autonomia na relação?

  • Gostei desse post também.
    Estou prestes a completar 5 anos de casamento, e até hoje na minha visão, temos contrariado em nossas mentes aquele mito de que quem está casado quer ser solteiro. Só tenho a agradecer minha mulher, pois sem ela minha vida estaria um lixo, ela me ajudou a me colocar nos eixos, e a melhorar como ser humano. Se tenho algumas conquistas, ela é super responsável por me impulsionar, e tudo o que decidimos, decidimos em conjunto e sem mágoas. Tudo é uma questão de compreensão e maturidade. Abraço Bruno.